Base terminológica da ECHA

O último número da Facköversättaren, a revista da SFÖ, traz um artigo escrito pelo tradutor sueco Björn Olofsson sobre a base de dados ECHA ( European Chemicals Agency, órgão da UE).

Essa base de dados contém terminologia multilingue extraída, entre outros, de documentos da REACH, CLP e de Regulamentos sobre biocidas. Encontram-se aí termos já padronizados relativos a fichas de dados de segurança química e de produtos perigosos ao homem ou ao ambiente. É, portanto, um recurso valioso para o tradutor e que substitui o trabalho exaustivo de consultas online às dire(c)tivas da UE nesta matéria. A base de dados é apresentada nas 23 línguas da União Europeia.

Transcrevo aqui em português os passos enunciados pelo colega para descarregar essa base de dados:

  1. Aceder ao link: http://echa-term.echa.europa.eu/
  2. Clicar em Download Data na parte superior.
  3. Escolher o formato TBX caso o seu programa de tradução suporte este formato. Do contrário, sele(c)cione Excel.
  4. Escolher All database como filtro. Não é necessário marcar o campo seguinte, Please select export, a menos que opte por descarregar um domínio específico.
  5. Marcar Bilingual.
  6. Escolha a língua de partida e de chegada.
  7. Clicar em Export e salve no seu computador.

Como integrar essa base terminológica ao Trados Studio?

Eu optei pelo formato em Excel para ter inicialmente uma ideia do conteúdo num formato de trabalho amigável. Em seguida, decidi integrar essa base a um Termbase do Trados.

Para os colegas tradutores que, como eu, utilizam o Trados Studio, uma nota importante que me foi dada pelo suporte do Trados.

É preciso, inicialmente, eliminar quaisquer “elementos estranhos”, tais como vírgulas, parêntesis ou outras marcações presentes nos cabeçalhos das colunas. Nomes longos como Source Term Reference podem também causar problemas.

A planilha Excel da ECHA contém as seguintes colunas (para EN e PT): Entry number, CODE, Source term (EN), Source Term Reference , Source term definition, Target Term(PT), Target Term Reference, Target definition.

Vê-se que as línguas encontram-se entre parêntesis. Além disto, as colunas vêm com um marcador que deve ser eliminado.

Para solucionar isto, basta inserir nova linha abaixo do cabeçalho original das colunas e digitar (não copiar) os termos do cabeçalho. Depois disto, remover o cabeçalho original.

Ao criar novo cabeçalho, optei por excluir algumas colunas e renomear duas delas, ficando com as seguintes: Entry number, EN, Source definition, PT, Target definition. Eliminei, portanto, as colunas que não eram essenciais para o Termbase e mantive apenas as siglas das línguas, sem parêntesis, nas colunas referentes a Source term e Target Term. Guardei, contudo, cópia da planilha original para eventual consulta.

Feito isto, a planilha está pronta para criar o Termbase.

Criando um termbase:

Primeira etapa: Conversão

Converte-se a planilha Excel em um ficheiro xdt por meio do MultiTerm Converter ou do Glossary Converter (este aplicativo gratuito pode ser descarregado do site da Trados).

Segunda etapa: Criar o Termbase

Abrir o MultiTerm Desktop, clicar em Create termbase, especificar uma pasta para guardá-lo.

Clicar a seguir em Next. Na janela Termbase definition, sele(c)cionar Load an existing termbase definition file. Carregue o ficheiro com a extensão xdt. Os próximos passos não requerem normalmente edição até a criação do Termbase.

Após ser criado, será necessário importar para este os termos do glossário e finalizar o processo.

Para aqueles que possam encontrar dificuldades, recomendo o detalhado e excelente artigo Creating databases om MultiTerm from an Excel Glossary, em http://novalo.com/creating-databases-on-multiterm-from-an-excel-glossary/

Espero que este post possa ser útil!